Ministro dos Negócios Estrangeiros e Ministro da Defesa pede demissão

12 de janeiro de 2021

Luís Filipe Tavares
A+ A-

 

Luís Filipe Tavares, pediu, hoje, ao Primeiro-ministro, demissão dos cargos que vem desempenhando no Governo. De acordo com uma nota do Governo enviada à nossa Redação, o Primeiro-Ministro aceitou o pedido e apresentará, na sequência, ao Presidente da República, o nome do novo Ministro dos Negócios Estrangeiros e Ministro da Defesa.


Na nota, o Governo agradece a dedicação e o espírito de missão demonstrado por Luís Filipe Tavares durante o período em que esteve a desempenhar os elevados cargos governativos, mas não apresenta os motivos que o levaram a pedir a demissão.

A informação foi conhecida por volta das 13h30, precisamente na hora em que o Presidente da República falava com os Jornalistas depois de apresentar as datas das eleições legislativas e presidenciais. Jorge Carlos Fonseca reagiu com espanto à notícia da demissão do ministro dos negócios estrangeiros, Luís Filipe Tavares.

Instado pelos jornalistas a comentar esta demissão Jorge Carlos Fonseca diz que tinha conversado com Luís Filipe Tavares havia 30 minutos antes e ele não lhe tinha informado sobre nada disso, pelo que não podia comentar sem inteirar-se bem da situação.

Não se sabe ainda os motivos do pedido de demissão do ministro dos negócios estrangeiros que já foi aceite pelo Primeiro-ministro, mas especula-se que tenha que ver com a reportagem da SIC que denunciou que o recém-nomeado consolo honorário de Cabo Verde na Florida, César de Passo, seja um dos principais financiadores do partido português CHEGA, rotulado como partido de extrema-direita.

Já estão conhecidas as datas para a realização das eleições legislativas e presidenciais. O anúncio foi feito por volta das treze horas pelo Presidente Jorge Carlos Fonseca após auscultar os partidos políticos. O Presidente da República disse ter ponderado várias condicionantes para marcas as legislativas para 18 de Abril e as presidenciais para 17 de Outubro. Jorge Carlos Fonseca apelou os cabo-verdianos a votarem em massa, mas também para que as instituições responsáveis na matéria criem as condições para os cabo-verdianos se recensearem.

Estão então conhecidas as datas das eleições legislativas e presidências. 18 de Abril para as legislativas e 17 de Outubro para as presidenciais

 

Jefferson Gomes - RCV

Disponibilizado online pela Multimédia RTC

 

Vídeos relacionados:

Nomeação de César de Paço para Cônsul de CV na Flórida suscita críticas na imprensa portuguesa.



Artigos Relacionados