SIACSA acusa CM da Praia de ignorar acordos para aplicar PCCS e fornecer equipamentos de proteção

15 de abril de 2021

A+ A-

Hoje foi o segundo e último dia de dois dias de greve dos Serviços de Saneamento e da Oficina da Câmara Municipal da Praia. Em declarações à TCV, o vice-presidente do SIACSA, acusou a edilidade da capital de ignorar os acordos assinados para aplicar o PCCS e bem assim conceder equipamentos de proteção aos trabalhadores do saneamento. 

Em comunicado, CMP, Câmara Municipal da Praia, diz-se engajada em resolver os pendentes, mas pede tempo, lembrando que os problemas do PCCS arrastam-se desde 2013.
Greve de dois dias iniciada nesta quinta e que termina hoje. Serviços de Saneamento e da Oficina da CMP manifestaram-se pelas ruas da cidade, num protesto por melhores condições de trabalho como exigência de fornecimento de equipamentos de proteção aos trabalhadores de saneamento e luta por melhores salários, através da implementação do novo PCCS, que se aguarda desde 2013.

O vice-presidente do SIACSA acusa pois a CMP de ignorar acordos assinados para aplicar o novo PCCS e fornecer equipamentos de proteção, particularmente nesta época da pandemia, refutando uma resposta da edilidade de que teria a sua própria agenda.
Num comunicado chegado a nossa redação, a CMP diz-se ciente dos problemas levantados e manifesta-se engajada em resolve-los a seu tempo, lembrando que está em exercício há poucos meses e que as questões ligadas ao PCCS arrastam-se desde 2013, estranhando ainda uma sequencia de greves e manifestações de trabalhadores camarários afetos ao SIACSA nos últimos dias.