Representante da OMS lembra que não há uma forma segura de consumir o tabaco

31 de maio de 2021

Hernando Agudelo, Representante da OMS em Cabo Verde
A+ A-

"Comprometer-se a deixar de fumar" é o lema do Dia Mundial Sem tabaco este ano. O representante da Organização Mundial da Saúde em Cabo Verde, Hernando Agudelo, lembra que não há uma forma segura de consumir o tabaco e apela às autoridades nacionais a criarem condições para ajudar as pessoas que queiram deixar o tabaco.

O tabagismo é um problema mundial e mata metade dos seus consumidores diretos e indiretos. Todos os anos, cerca de 1,2 milhões de não fumadores morrem devido à exposição ao fumo do tabaco. Um problema que preocupa a Organização Mundial da saúde que está empenhada em ajudar as pessoas, sobretudo na região africana, a libertarem-se deste vício nefasto. Porque a decisão de deixar o tabaco tem de partir do fumante mas é preciso que este tenha à sua disposição ferramentas para tal.

"Dos 1,3 mil milhões de fumadores a nível mundial, 60% expressaram o desejo de deixar de fumar, mas apenas 30% têm acesso às ferramentas que lhes permitem fazê-lo com sucesso. As soluções digitais podem ajudar a colmatar esta lacuna, por isso, na OMS apresentámos a plataforma “Florence”, uma agente de saúde digital que dá breves conselhos sobre como deixar de fumar e indica as ferramentas e soluções que podem ajudar a fazê-lo." - Hernando Agudelo

De acordo com a OMS, mais de 75 milhões de pessoas na região africana consome alguma forma de tabaco, um número que tende a aumentar à medida que o poder de compra das pessoas aumenta, com a expansão da indústria do tabaco no continente. Pelo que a OMS apela às autoridades a intensificarem, nas comunidades, campanhas que ajudem as pessoas a deixarem o tabaco.

"Apelo aos governos para que melhorem o acesso a estes serviços, utilizando uma combinação de abordagens, tais como a implementação de linhas de apoio gratuitas para promover a cessação tabágica, terapêuticas de substituição da nicotina (tais como pastilhas, adesivos, inaladores e outros produtos) e soluções digitais que ajudem as pessoas a deixar de fumar" - Hernando Agudelo

O tabagismo tem efeitos nefastos em quase todos os órgãos do corpo humano, podendo provocar vários cancros e riscos de infeções pulmonares e respiratórias, patologias que podem revelar-se fatais neste contexto de pandemia de Covid-19.



Artigos Relacionados